Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


14
Out21

Sabem o que é a ditadura?

por cristina mota saraiva

Já contei por aqui a minha história sobre o 25 de Abril. Este é um assunto que deveria estar SEMPRE na ordem do dia.

47anos depois, muitos já esqueceram, outros fazem-se esquecidos, outros não se lembram e outros não querem saber.

mordaça.jpg

O maior direito conseguido, com a revolução dos cravos foi, sem dúvida, a liberdade de expressão.

Aqueles abaixo dos 40 anos, não sabem o que é viver sem poder dar a sua opinião, sem poder expressar-se, sem poder juntar-se na rua com um grupo de amigos. Por isso, o facto de poder dar a sua opinião é uma coisa tão banal que as pessoas não se  imaginam, sequer, num cenário desses. É verdade, hoje em dia, começa a ser desvalorizado, o facto de se opinar. E quando se opina, muitos não entendem esse direito adquirido!

Claro que a opinião tem que respeitar as pessoas, não as atacando, obviamente na sua integridade. Mas, dar uma opinião sobre a forma como agem, contestar, explicando, a discórdia, isso é uma regalia soberba, mas muitos não entendem  e ficam ofendidos quando a sua opinião é contrária.

Aceito! … é a democracia! Mas, uma coisa é certa, com contestação, com incompreensão, com ameaças, não me vou coibir de dar a minha opinião!

Isso foi um direito adquirido e gostaria que todos percebessem o valor desse direito.

Mas, sobretudo gostaria que percebessem que cada um é livre de se expressar sobre o que quiser e da forma como quiser, desde que não ofenda ninguém.

Infelizmente, os valores de Abril estão a ficar cada vez mais distantes e lamento que assim seja.

Este pode parecer um discurso de esquerda extrema. Mas, quem me conhece sabe perfeitamente que a minha ideologia anda longe desses patamares. Mas, não me calarei perante quem tente calar-me, mesmo com ameaças.

Agora, lamento que quando a opinião é contrária… existam ameaças… não sei se já ouviram falar em ditadura? Informem-se!!!

12
Out21

Há profissionais… e “aprendizes” espertos

por cristina mota saraiva

Continua a saga do programa Terra Nossa, que decorreu em Castelo Branco. Terei sido eu, das primeiras a criticar o programa e, de uma vez por todas, entendam!! Critiquei o programa, não as pessoas que participaram nele. Não tentem deturpar as coisas! Até porque conheço a maioria das que intervieram e se tivesse algo a dizer sobre a sua prestação, fa-lo-ia pessoalmente e não viria para aqui.

Achei o programa horrível, por mais que me digam que é sempre este o conteúdo. Se-lo-á sempre se todos aceitarem e não contestarem. Gostaria era de saber se o programa veio a expensas próprias a Castelo Branco, o que duvido. Mas, isso são “quinhentos”, como diria a minha avó .

Admito, também que haja quem goste do formato e do conteúdo. Estão no seu direito! Eu, não! Por isso critiquei, e também tenho esse direito! Se é assim noutro locais, isso não me diz respeito. Eu falo e critico quando me toca! Foi o que aconteceu. Não gostei e acho que não foi positivo para Castelo Branco. Pura e simplesmente! Felizmente vivo num país que me permite expressar a minha opinião. Agora, não tentem arranjar problemas onde eles não existem,. Se não entendem o que escrevo procurem explicações! Ponto um!

Ponto dois: soube posteriormente e perante este comentário publicado nesta rede social que a selecção das pessoas foi feita através do seguinte apelo:

No dia 28 de Março de 2021, o Sr. Rui Manuel Barata publicou o seguinte:

" Preciso de ajuda vossa, amigos albicastrenses:

César Mourão quer vir a Castelo Branco e entrevistar “personagens” típicas de Castelo Branco.

Alguém recomenda ou tem contactos de pessoas que possam reunir os requisitos?

Obrigado".

Inacreditável! Então pessoas que ganham ordenados chorudos, que recebem mais num mês do que a maioria num ano, sentam-se comodamente na sua secretária e servem-se dos outros para justificar o seu ordenado? E nós, feitos ‘patinhos’ vamos na conversa. Ajudar é uma coisa, usar os outros é outra.

Falo muito à vontade do assunto, porque sei como as coisas funcionam. A minha vida profissional também passou por estas situações.

Quando chegava a um local onde não conhecia ninguém, não punha um anuncio no facebook, ia e procurava e apresentava-me! Formas de trabalhar diferentes, profissionslismos melhores e piores! É o que temos. E a César Morão nem era preciso apresentar-se!

Pronto é só isto, com a certeza de que nada tenho, muito pelo contrário, com as pessoas que participaram.  E sim! Sinto-me no direito de estar indignada!... Porque há profissionais e aprendizes que usam os outros para justificar o seu ordenado escandaloso!  

Sei que o programa é líder de audiências, ma sisso não me obriga a gostar, mito menos quando se reporta à minha cidade!

E por aqui me fico, dando o assunto como encerrado!

10
Out21

Uma desilusão chamada César Morão!!

por cristina mota saraiva

cesar morao4.png

Gosto de esclarecer as coisas, embora pensasse que fui bastante clara!

Quando critiquei o programa “Terra Nossa”, da SIC com César Morão, critiquei a generalidade do programa, a forma como foi conduzido e como posteriormente foi editado!

Nunca escondi a minha admiração por César Morão que fui acompanhando nos programas que realizou com os jogadores, nas suas terras. Sempre lhe achei piada, mesmo antes disso, porque fazia humor com nível. Mas, no melhor pano cai a nódoa.

Assisti as espetáculo do “Terra Nossa”, ao vivo, no Cine Teatro Avenida. Logo aí manifestei o meu desagrado. Depois passaram meses em que foi guardado na gaveta da SIC. Um desrespeito, acho! Desde 8 de Maio, dia em que foi gravado e se não era para emitir logo, poderiam ter avisado. Compreendo as decisões editoriais, mas  não custava nada dizer ás pessoas, ao público que os sustenta, que não era para emitir logo. Mas, não!! O publico só serve para as estatísticas da audiência e para contabilizar o ‘share’.

Depois, finalmente, é anunciado! A expetativa cresce, mas a desilusão não demorou a chegar.

Não pelas pessoas que fizeram parte do dito programa e lhe deram conteúdo, com excepção da figura da “Virinha” que, se calhar teve a sua graça, na altura em que apareceu e preencheu manhas das tv´s.

Mas, tudo o que é demais, é exagero!

Foi o caso. Irem propositadamente buscar uma senhora que aproveita enquanto pode o seu ar de graça, mas que foi completamente ultrapassada e já passou à história!...

Não!! Castelo Branco não ficou com uma imagem positiva.

Quando o humor tem que se  socorrer  da asneirola, para granjear adeptos e fazer rir, só demonstra falta de inteligência. E aí, sim, para mim foi uma decepção. Já conheci melhores dias a Cesar Morão!

A desculpa de que é uma comédia e tem que ser assim, não  convence, pelo contrario!

Ou será preciso procurar exemplos, para mostrar que  a comédia não precisa ser ordinária para fazer rir. E posso apontar alguns que até passaram por Castelo Branco. Paulo Matos, Gato Fedorento… assim de repente é o que me lembro.

E foram espetáculos que fizeram rir sem cair na brejeirice.

Pronto, disse!!

https://sic.pt/Programas/terra-nossa/videos/2021-10-09-Cesar-Mourao-inspira-se-na-viagem-a-Castelo-Branco-e-escreve-musica-nova-Quando-canta-ate-me-cai-o-queixo-bb762c1c

26
Set21

A proposito das eleições, só para esclarecer!

por cristina mota saraiva

Agora que tudo passou e se decidiu, permito-me um comentário. Primeiro, parabenizar o vencedor e a sua equipa e desejar-lhes um bom mandato, em prol dos interesses da cidade e dos cidadãos., seja ele qual for.

ridiculo.png

Em tempos idos, e enquanto me foi permitido, como jornalista, fui filiada num partido, apadrinhada por um homem com um projeto credível e sustentável para a cidade e que lhe deu um forte impulso. Depois, deixou de ser possível continuar filiada e diga-se, também deixei de me identificar com o rumo tomado por esse partido.

Mais tarde aceitei um convite, para integrar uma lista nas autárquicas, em lugar dificilmente, elegível, sabia-o, mas que aceitei por acreditar nas pessoas e nos projetos que apresentavam para a cidade e concelho.

Nunca tais factos beliscaram a forma de desempenhar a minha profissão, nem nunca ninguém teve algo a apontar-me, no desempenho do meu trabalho, de Jornalista, com carteira profissional.

Desde sempre muitos me apontaram farpas e eu continuei a desempenhar e a fazer o meu caminho. E, pelos vistos, com uma carreira de sucesso. Pois se, sete anos depois de ter deixado de exercer, por motivos de saúde, ainda hoje me vêem como jornalista, é porque desempenhei bem o meu papel e fui uma boa profissional, sem falsas modéstias.

Primeiro, e recentemente, alguém tentou manchar a minha imagem pura e simplesmente por ter feito um comentário no Facebook, sobre o Sporting. Deram-se ao trabalho de escrever para o Jornal onde trabalhei a achincalhar-me e a apelidar-me de má profissional pelo facto.

Mas, agora a situação é outra. Não escondi que apoiava Luís Correia, como prova o texto que escrevi há dois anos https://levadadabreca50.blogs.sapo.pt/ficar-na-mo-de-baixo-21874

Desta vez, recebi, um convite para participar numa ação de campanha do candidato socialista, convite feito por uma pessoa de quem gosto e admiro, também ele candidato, e ao qual acedi, sem qualquer tipo de problema, até porque considerei que a ação era interessante inovadora e positiva,  assumindo  um tema quase sempre esquecido, mesmo pelo candidato que apoiei, sobre condições (ou falta delas) de deslocação para pessoas com mobilidade reduzida.

Aceitei, sem hesitar e até entusiasmada. Mas, por coincidência, o dia colidiu com o de uma consulta que, apesar de ter sido solicitada com carater urgente, demorou seis meses a ser marcada e foi-o, precisamente, para o dia em causa, da referida ação socialista. Não podia recusar a consulta, como é obvio. E com muita pena minha não pude participar.

Mas, felizmente que vivo num país que me permite escolher o que considero melhor. Nunca fui de me calar e sempre procurei ser verdadeira e assumir as minhas convicções, sem quais quer problemas, por muito que as pessoas não concordem, ou pretendam condicionar-me.

As urnas já encerraram, e por isso posso já escrever este texto. Estamos no inicio da contagem dos votos e quero faze-lo, precisamente, antes do resultado final, uma vez que em nada mudará a minha ideia e certeza seja ele qual for.

Ou seja, já lá vai o tempo em que tinha que me remeter ao silêncio e não me identificando politicamente, cumprindo o que se exige a um bom jornalista.

Mas, nunca fui amorfa e sempre tive as minhas convicções. Agradeço aos que se escandalizaram por manifestar a minha preferência pelo candidato Luís Correia, pelo menos continuam atentos ao que escrevo. Teve um ato, infeliz, sim, foi condenado por isso, cumpre a sua pena. Assim, de repente, lembrei-me de José Sócrates, com as devidas distâncias…

Não levo a mal as críticas, cada um é como cada qual, diria a minha avó. A única coisa que até me fez rir, pelo ridículo a que as pessoas se expuseram foi o facto de me acharem, ainda jornalista. Não, infelizmente não!!! Então não façam figuras  parvas, achando-se inteligentes e informados!

26
Set21

A Importância das Eleições Autárquicas

por cristina mota saraiva

 

por António Pires - Observador

A democracia precisa do voto de todos. Vamos fazer-nos ouvir pelo sentido do voto, a maior arma da democracia.

autarquicas 21.jpg

 

A Constituição Portuguesa refere que todos os cidadãos têm o direito de tomar parte na vida política e na direção dos assuntos públicos do país, diretamente ou por intermédio de representantes livremente eleitos. É o caso.

ITudo isto, depois de sermos esclarecidos sobre atos do Estado e demais entidades públicas e de ser informados pelo Governo e outras autoridades acerca da gestão dos assuntos públicos. São factos. Neste dia 26 de Setembro de 2021,é através do voto nas Autárquicas que poderemos expressar as nossas convicções e eleger quem determinará conduzirá os destinos deste concelho nos seus órgãos mais importantes.

Na perspectiva da gente comum, validade pelo costume, as campanhas eleitorais são a garantia de que, até ao dia das eleições, a maior parte das promessas (humanamente exequíveis) feitas aos eleitores vão ser cumpridas até ao último dia do acto eleitoral: a gravilha, os paralelos e os montões de areia que permanecem, desde o primeiro dia dos quatro anos de mandato, à beira da estrada das aldeias, vilas e cidades, vão cumprir o propósito para que foram destinados.

No nosso país. Desde as primeiras eleições, por sufrágio universal direto em 1976, que se verifica a tendência de reeleição dos candidatos. Será este o ano de exceção?

Vai deixar que escolham por si? Vamos por os pontos nos is, juntos.

07
Set21

O meu pai partiu!!

por cristina mota saraiva

A dor da última despedida vem acompanhada de uma saudade sem fim. O meu pai deixou-nos. O Amadeu Mota Saraiva faleceu ontem ao final da tarde. A saúde já estava muito debilitada e os seus 87 anos não resistiram. Partiu e ficará, agora a olhar por todos nós.

Teve uma vida ativa e foi um grande comunicador. O associativismo estava-lhe nas veias, tendo sido dirigente de algumas agremiações da cidade... e não só. Quando esteve cinco anos na Madalena, freguesia de Vila Nova de Gaia, também aí foi dirigente do clube local, o Atlântico da Madalena.

Era um homem de família. Um marido atento e preocupado, um pai solicito e extremoso. No seu tempo, depois dos estudos, tornou se Contabilista, mas depressa se embrenhou no mundo do jornalismo e trabalhou em diversos jornais e rádios locais e nacionais, depois de ter começado aqui pela cidade no jornal Beira Baixa, de fraca memoria, e posteriormente no Reconquista. O Amadeu Mota Saraiva deixou-nos. A sua memória permanece e os seus escritos ficarão para sempre.

O facto de ter desenvolvido uma intensa colaboração no Jornal Reconquista, e nas diversas associações onde passou, tornou-o um homem conhecido e acarinhado por toda a cidade.

O Mota Saraiva deixou-nos! Paz à sua alma!

Eu, enquanto filha mais velha, acompanhei-o em muitas das suas atividades. Talvez por isso mesmo me tornei, como ele, jornalista. Lembro-me de estar a seu lado em diversos trabalhos e de ter começado por aí a interessar-me pela área.

A memória mais antiga que tenho dele, enquanto jornalista é a da Rádio Altitude da  Guarda. Na altura ainda não tínhamos telefone em casa e ele, depois de um trabalho, tinha que enviar som para a Guarda. A solução foi recorrermos ao vizinho da frente, o senhor Fidalgo, que gentilmente nos abriu a porta da sua casa e permitiu que o meu pai utilizasse o seu telefone, para transmitir a ‘peça’ solicitada.

Depois, a partir daí, comecei a acompanhá-lo, nalguns trabalhos. Teria, talvez, uns doze anos. Fui com ele à Volta a Portugal, aos ralis e às conferências de imprensa, essas mais aborrecidas!

Mas fui sempre! Assim nasceu, também, a minha paixão pelo jornalismo.

O Mota Sarava deixou-nos! Paz à sua alma!

Permanecerá sempre connosco!

 

20210907_121150.jpg

Cristina Mota Saraiva

25
Ago21

Os politicamente corretos!!!... eu não !!

por cristina mota saraiva

politicamente correto 1.jpg

É lugar comum dizer-se que o futebol tira a capacidade de raciocínio às pessoas.  Da minha parte nunca escondi esse meu lado primário que me leva, muitas vezes a perder as estribeiras. Assumo e sem problemas! Tudo isto a propósito de ontem ter colocado um comentário que tanta celeuma provocou… já lá vamos. Se há coisa que nunca fui, nem consigo ser é hipócrita! E sendo assim, muitas vezes (a maioria das vezes), não me aguento e as coisas saem. Foi o que aconteceu ontem! Pura e simplesmente pus; “Força PSV” ! Aqui d’él rei’… o que fui eu dizer!!!... que não sou portuguesa… que deveria estar a ‘puxar’ pelas equipas portuguesas… que assim poderíamos ter mais uma equipa … blá…blá…blá!!!

Ora então, toda a gente diz mal deste país… que lá fora é que é bom, que aqui não nos dão oportunidades… que o melhor é emigrar, para conseguir uma vida melhor, que este país não dá possibilidades, que o governo é uma m…   e isto… e aquilo !!!...Mas, quando chega ao futebol, as coisas mudam!!!... Que somos bons e que devemos unir-nos e quando uma equipa portuguesa joga lá fora, todos devemos estar ao seu lado!!!”.Homessa!!!

Então está tudo mal, é tudo uma porcaria, mas no futebol, NÃO!

No futebol temos que nos unir!!! E então vamos todos puxar por A, B, OU C, porque são equipas portuguesas! Não contem comigo para isso. Não sou hipócrita!!! Nunca escondi este meu lado! Nunca fui politicamente correta!!! Não me peçam para o ser!! E sim, sempre disse, tudo o que é vermelho é para perder! Sei que muitos se revêem nesta situação, mas não assumem. Não tenho problema com isso. Eu assumo ! Quem não gosta… temos pena, não lamento, porque eu sou assim e não vou mudar, porque simplesmente há pessoas que acharam “horrível” aquilo que escrevi. É o que penso! Talvez um dia mude – acho difícil – e se isso acontecer cá estarei, para reconhecer. Até lá!... tudo o que é vermelho é para perder! Ah!  Gabo a capacidade que muitos têm de ver as coisas de outro prisma!! Pena que não estendam essa capacidade a tudo o resto que se passa neste país e, então puxarmos todos para o mesmo lado! Não, isso só é valido para o futebol!... que no fundo é mesmo o que menos interessa.

Para rematar, se há coisa que não tolero é que tentem condicionar a minha liberdade de expressão! E é na decorrência dessa liberdade que me permito fazer tal afirmação: o que é vermelho é para perder…nem que seja à Petanca!!

politicamente correto 2.jpg

 

 

 

16
Ago21

Os amigos da partilha e da vida vivida!

por cristina mota saraiva

As relações pessoais e interpessoais não são fáceis e a cada dia mais difíceis se tornam.  O egocentrismo  ganha terreno e a génese e pureza das relações vai-se perdendo. Em muitos casos o interesse de cada um sobrepõe-se a qualquer tipo de sentimento, de amizade, de companheirismo e até de amor! Os valores da amizade vão diminuindo e com eles vão também os amigos.

amizade e amor.jpg

Por isso este mundo está cada vez mais centrado em si mesmo, cada um de nós concentrados em nós mesmos!

Ao longo dos tempos fui perdendo amigos, a maioria abandonou-me quando fiquei doente! Não eram amigos! Muitos deles, a grande maioria sentaram-se muitas vezes à minha mesa, comeram e beberam comigo, nas minhas casas. Depois… fugiram! Tiveram medo?? Não! Simplesmente não sabiam, provavelmente que a minha doença não era transmissível… e ainda assim, mesmo que o fosse, haveria sempre um telemóvel disponível! Para falar, para saber da recuperação, ou simplesmente para um convite para beber um café, ou comer um gelado.

Não, as almoçaradas, os comes e bebes já não se faziam, já não podia faze-los portanto, podia ser descartada. Já não interessava.

Alguns vão rever-se nesta história, outros vão saber que fizeram parte dela e que fugiram. Serão demasiado cobardes, para o reconhecer, como é obvio!!!

Traição foi a pior situação que senti ao longo da vida!. E senti-a muitas vezes e de diversas formas. Hoje lido bem com tudo isso, continuando a não esquecer. Mas, também já não há muito para que me possam fazer passar por outra traição.

A não ser, lá está, a amizade, mas até aí é difícil, porque os amigos que fui criando são mais sólidos, não são amigos de copos. São amigos de partilha de ideias, de conversase até de passeios.

São amigos!!  Daí que o risco não seja tão grande, digo eu!... e depois de tudo isto, há os amores! Esses que são muito mais que amigos e com quem não nos comportamos como amigos! Esses também podem trair! Talvez, até seja por aqui que surgem as maiores traições. Porque te podem enlear e levar te a outros mundos. Mas, aí tens que estar preparada “para o que der e vier”. Podes entrar na relação, mas deves faze-lo com consciência de que esses sentimentos podem ser voláteis.

Com a consciência de que podes estar a entregar-te a uma relação que pode não ter grande futuro. Mas podes faze-lo à mesma. Sem receios, apenas com a vontade de viver, ou de sentir!

E se for assim, entrega-te de corpo e alma! Vive esse amor! Disponível, mas segura e ciente de que pode ser “sol de pouca dura”.

É isto a vida, vivida! E se forem ultrapassados os limites, que o sejam com consciência e sabedoria, para não haver, depois cicatrizes profundas!

Porque  a distância entre a amizade e o amor pode ser a distância de um beijo.

11
Ago21

A confusão dos concertos de Tony Carreira

por cristina mota saraiva

tony.jpg

Nunca fui apologista de uma política cultural gratuita. Mas se há autarquias que apostam nisso, não vou questionar. É verdade que eu sempre fui privilegiada em assistir a muitos espetáculos, sem pagar bilhete, porque o fazia em trabalho. Não digo que não se ofereçam bilhetes a instituições, ou até pessoas, desde que se justifique. Não devia era ser prática comum. Hoje que já não tenho essa benesse, não deixo de ir a espetáculos a expensas próprias. Não vou é a tantos quanto gostaria.

Agora, quis a autarquia albicastrense oferecer à cidade um concerto de Tony Carreira e como seria de calcular, não se fizeram esperar as criticas. Ou por isto, ou por aquilo, ou até por nada! Pela hora a que foram colocados à venda, porque houve pessoas que estavam na fila à frente de outras que não conseguiram bilhetes e outras que estavam atrás conseguiram… enfim. Até porque é que o Tony é de borla, se ele não vem de borla-… politiquices… Alguém já afirmou isto é um não assunto, Por um lado até terá razão, mas por outro, estas situações só demonstram o que há de mais primário nas pessoas.

Quando estive na organização desse concerto, já lá vão uns 13 anos, ou mesma, fui ameaçada de diversas maneiras. Eu e a maioria das pessoas dessa organização.

Como tal, não adianta tentar refutar qualquer tipo de argumento, porque só entraremos em desgaste. O que é certo, é que pelo caminho vão sendo atacadas e até maltratadas, pessoas que nada têm a ver com o assunto!

É o que existe de mais primário nas pessoas a vir ao de cima!

Se cada um se preocupasse em conseguir o seu bilhete e não olhasse para o lado, tudo seria mais saudável. Eu sei que é frustrante querer ir ao concerto e não ter bilhete. Mas, não é necessário entrar em desespero e disparar em todas as direções. É que, podemos atingir pessoas que nada têm a ver com o assunto. Sejamos mais condescendentes!!!

Então vamos lá ao concerto!!!

06
Ago21

A luta da paixão

por cristina mota saraiva

coração 1.jpg

Gosto de ti...perguntas porquê?... isso é  lá  pergunta que se faça a quem gosta??...porque sim... gosto desse sorriso que sendo bonito  nem sempre mostra o mais bonito de ti! Não te escondas atrás desse sorriso!

Gosto de ti!!... perguntas porquê? Isso é  lá  pergunta que se faça a quem gosta??... porque sim e me seduziste ...com esse teu jeito tão natural e descontraído… foste-me conquistado. Com esse jeito de criança  em pele  de adulto e é tão bonita essa tua inocência, tão genuína que se torna irresistível. Porque és tu criança em corpo de adulto.

Mas, de repente tudo voltou e tudo mudou. Tu quiseste e eu passei a querer.. e quis mais... ou quis demais… e tu? Deixaste de querer? Não percebo  porque tem que ser assim. Porque a minha linha não se encontra, de novo, com a tua... quando já estava paralela, agora, cada vez está mais afastada.

Insisti demais, foi isso? Ou o que quiseste conhecer não te agradou? Foi desilusão e deixou de ser paixão? Continuemos a ver onde nos levam as linhas e a ver se se cruzam...outra vez, ou será tarde demais??

Não quero acreditar nisso! Nunca é tarde para ressuscitar a paixão. Eu quero ressuscitar a tua paixão, aquela que tinhas e me levaste a ter… e que continuo a ter e a querer ter!

E agora, separados custa mais ainda. Dizem que a distancia faz bem!... não sei a quê, ou a quem! Só se for para solidificar este querer. E sim, solidificou!!! Mas, então não percebo porque sinto que já não queres… já não me queres ?!! A Paixão esfriou?? Mas, não vou desistir de ti! Quero essa Paixão de volta!

Vou lutar!!! Acredita! Vou lutar por ti e pelo regresso dessa Paixão!

Acompanhas-me nessa luta de paixão e pela paixão?... então vem!!!

coração.jpg


Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2021
  2. JAN
  3. FEV
  4. MAR
  5. ABR
  6. MAI
  7. JUN
  8. JUL
  9. AGO
  10. SET
  11. OUT
  12. NOV
  13. DEZ
  14. 2020
  15. JAN
  16. FEV
  17. MAR
  18. ABR
  19. MAI
  20. JUN
  21. JUL
  22. AGO
  23. SET
  24. OUT
  25. NOV
  26. DEZ
  27. 2019
  28. JAN
  29. FEV
  30. MAR
  31. ABR
  32. MAI
  33. JUN
  34. JUL
  35. AGO
  36. SET
  37. OUT
  38. NOV
  39. DEZ
  40. 2018
  41. JAN
  42. FEV
  43. MAR
  44. ABR
  45. MAI
  46. JUN
  47. JUL
  48. AGO
  49. SET
  50. OUT
  51. NOV
  52. DEZ
  53. 2017
  54. JAN
  55. FEV
  56. MAR
  57. ABR
  58. MAI
  59. JUN
  60. JUL
  61. AGO
  62. SET
  63. OUT
  64. NOV
  65. DEZ
  66. 2016
  67. JAN
  68. FEV
  69. MAR
  70. ABR
  71. MAI
  72. JUN
  73. JUL
  74. AGO
  75. SET
  76. OUT
  77. NOV
  78. DEZ
  79. 2015
  80. JAN
  81. FEV
  82. MAR
  83. ABR
  84. MAI
  85. JUN
  86. JUL
  87. AGO
  88. SET
  89. OUT
  90. NOV
  91. DEZ


subscrever feeds